Publicado por: cidadedopensar | 22/02/2010

Maldito Amor


Fictício ou Real ? Não importa.

Fictício ou Real ? Não importa.

Penso que mereço o seu desapego, sua rejeição e falta de afeto.
não por ser masoquista ou algo parecido, mas por ter ciência dos dissabores que provoquei.

Penso.

Não.

Pensava.

Achava que merecia.Agora não mais .

Pois tudo tem um fim. a vida, por exemplo, é um .
Ela se esvai desde o incipiente primeiro segundo.

O homem não pode morrer sem amor. Por ele, talvez.

Não sei viver sem amor por uma mulher, muito menos sem tê-lo correspondido.

Melhor.

Não sei mais viver sem.

Pior.

Talvez jamais papilas gustativas minhas saborearam o doce amor em mão dupla.
Paixão, de certo, sim.

O amor observa o conjunto da obra física, psíquica e espiritual.
A paixão é antropófaga. Devora a Carne .

Ambas sensações, em casos raros, coexistem dentro de um só coração, mesmo que por mulheres distintas.

É muito fácil se apaixonar.
Por um par de coxas, delicados seios fartos e olhares abusados.
Por um perfume ou charme e um pouco daquilo também.

Como viver sem estas emoções eu ainda não sei.
Mas há muito não sinto-as vindo em minha direção, salvo quando direcionadas por quem eu não quero .

Um dia voltarei meus olhos para os de quem eu queira que os queira.
Pode ser aos seus, Mas,a vida se esgota a passos largos, e o amanhã está cada vez mais perto.

Os dias estão mais curtos e as noites cada vez mais longas.
Principalmente naquelas em que o amor carnal me falta.

Sim. Sinto falta da carne tôpega e das pernas cambaleantes. Sinto falta de provocar tais sensações.
Híbridas ,ricas, devastadoras e óbvias sensações

Nunca provoquei-as em Tí. Mas não por falta de esforço, e sim, sintonia.
Mas você nunca se esforçou para provocá-las em mim também.

Te odeio, por isso, não por aquilo.

Falta você em mim. Acredite.
Sinto sua falta mesmo estando ao meu lado.

Será que ainda posso amar ?
será que quem não sabe amar, pode ter demandas ?
Será que sei amar ?

E você ?
Saberia me amar ?

Que dúvida ambígua !
Daquelas que pendem para a “busca” angustiante por um amor antigo e fomentam a incerteza da busca por um novo,
que nos oferece ,prazerosamente, se obtivermos sucesso, a glória da conquista.

Mas amar não é glória. Desamor não é inglória, mas sangra o peito .
Só sei que amar é necessário.

O que é amor e suas classificações, deixo para Roland Barthes Responder.

Leia o livro “Fragmentos de Um discurso Amoroso”,( Editora Martins Fontes ).

Não sou o mais indicado para descortinar o amor.

RLB | Rio de Janeiro, 10 de Feveriro de 2010.
Quarta-Feira, 4:46 da Manhã.

Meu peito dói. Sofro,mas, sorrio .
Viva la vida !


Responses

  1. Lindo texto, estou impressionada realmente, entrou muito fácil na minha mente.Nada muito complexo, assim é bom de ler.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: